quinta-feira, 25 de agosto de 2011

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Ultimato NaVeia


Sim sim salabim seus bunito! Quarta feira com muita chuva aqui no Rio, mas o bonde não para e hoje mais uma entrevista para deleite de vocês!

Conversei com Kadu Magalhães, vocalista da Banda Ultimato, e Arthur Strang, baterista com nome de rock-star. O bate papo está super bacana e os meninos contaram um pouco da trajetória da banda e o destaque que tiveram n Festival Coletânea de Bandas.. Ahh, tenho que fazer uma observação: os moços tocam no Festival NMB no dia 05/09 no Espaço Acústica! Durante a entrevista foi dito que o local do show seria na Urca, porém devido ao sucesso, trocaram de lugar! Portanto, quero ver todo mundo lá torcendo pela Ultimato no dia 05/09 no Espaço Acústica!

E não deixem de conferir www.bandaultimato.com

Baixem o disco #recomendo

Siga @bandaultimato

ENJOY


terça-feira, 23 de agosto de 2011

Sai do forno o 14º livro do cartunista Marcio Baraldi



O novo livro do cartunista Marcio Baraldi já saiu! Trata-se de "RAP DEZ, o primeiro personagem rapper dos Quadrinhos".

É uma coletânea do seu personagem que é publicado desde 2003 na revista “Viração”, uma publicação mensal para adolescentes com linha editorial politizada e militante. Mais que uma simples revista , a “Viração” é um projeto social, com apoio do Ministério da Cultura, da Unicef e da Unesco, e conta com a participação direta de jovens secundaristas e universitários na sua pauta e produção. Além de Baraldi, a revista conta com grandes ilustradores como Natalia Forcat, Lentini, Marcelo Rampazzo e o mestre Novaes.

Baraldi criou o personagem Rap Dez para a revista desde seu início e logo ele se tornou o mascote da publicação, sendo o primeiríssimo personagem rapper a surgir nos quadrinhos mundiais. Suas histórias são todas narradas em versos rimados, como um rap de verdade, sempre retratando temas politizados de interesse da juventude, tudo com o bom humor e energia positiva típicos do Baraldi.

O livro segue o padrão caprichado dos outros treze já lançados pelo cartunista, com 52 páginas coloridas em couché, capa plastificada e traz prefácios de Paulo Lima (editor da “Viração”) e do escritor Ferréz , além de depoimentos de vários artistas do rap como DJ HUM, Rappin Hood, XIS,Toni C e de outras personalidades como os mestres da HQ brasileira Emir Ribeiro, Fernando Ikoma e Getulio Delphim, além do jornalista Osvaldo Bertolino. Como cereja no bolo, o livro ainda traz duas caricaturas do Baraldi feitas pelos mestres da HQB - Osvaldo Talo e Fernando Ikoma.

Para conhecer o personagem Rap Dez, acesse: http://www.viracao.org/artigo.php?id=2178


Site Marcio Baraldi www.marciobaraldi.com.br
Twitter @marciobaraldi

Dica de hoje: Um Mundo Carmesim




Dani Carmesim é tão intensa quanto às cores que compõem em suas letras. Quando percebemos seu mundo particular, somos tomados por suas provocações e por seus delírios. E rapidamente tomamos parte em suas canções. Embalados por sua voz que nos tinge a alma com o mais intenso carmesim, nos tornamos ainda mais transitórios e um pouco menos infelizes.

Desde criança ela sempre dizia que queria ser artista, mas sem nenhuma noção de que enveredaria para o mundo da música, embora, a brincadeira preferida fosse cantar, dublar cantores famosos e fazer suas próprias letras com o ritmo da música de terceiros. Sempre gostou muito de escrever e a princípio achava que escrevia pensamentos "flutuantes", poesias, mas, foi aos 14 anos que teve certeza de que eram letras de músicas, então, decidiu comprar aquelas revistas de violão e aprender a tocar sozinha. 

Foi aí que a história engrenou de verdade porque com o que aprendeu começou a dar melodia, ritmo e cifras às suas letras. Desde então não parou mais e hoje, aos 27 anos, já tem mais de 300 músicas de estilos e temas variados. Aos vinte, resolveu montar uma banda com os amigos de bairro chamada "Efeito Carmesim", de onde surgiu o nome Carmesim, que significa vermelho. Depois disso ficou fazendo voz e violão em alguns bares, participou de algumas bandas até formar o seu atual projeto solo, contando com o apoio dos músicos: André Oliveira (guitarra), André Williams (baixo), Fernando S. (guitarra e teclado) e Rafael "Alvo" (bateria), banda que acompanha e completa perfeitamente sua voz marcante com referências “rockeiras” até mesmo nas mais suaves das baladas.

Dani Carmesim não se situa em nada que possa ser considerado como “nova MPB”, porque ela é algo além disso, é rock e muitas mais. Em suas letras fortes e expressivas ela encontrou uma forma de poder se fazer ouvir por todos e mostrar que é através dos sentimentos que somos impulsionados a tomar atitudes que vão compondo nossa vida, nossa história e que também acaba por compor a vida e a história de outras pessoas próximas a nós. Portanto, se ninguém é feliz com o que tem, Dani Carmesim tem nos dado música, e se temos música, um pouco mais felizes somos. E assim tem sido.

Na web:
Twitter: @danicarmesim


BAIXE EP Devaneios (2011) http://t.co/FEylayr

Grande festival de Rock promete agitar o feriadão na Baixada Santista


3° edição do "Independência ou Rock" traz rock'n'roll Dr.Sin à Santos


“Independência ou.... Rock”! Se Dom Pedro I estivesse vivo, com certeza, este seria o grito inicial do festival, que promete agitar a Baixada Santista e atrair vários turistas à região. O evento, realizado pelo terceiro ano consecutivo pela produtora Fábrica do Rock, acontece no próximo dia 6 de setembro, no Clube dos Ingleses.

A principal atração da noite será o Dr. Sin, maior grupo de Hard Rock do país. Na ocasião, o power trio Andria Busic (baixo/vocal), Edu Ardanuy (guitarra) e Ivan Busic (bateria/vocal) fará o show de pré-lançamento do álbum "Animal". Completam o cast as bandas Last Jocker e Fire Monkey.

Os ingressos estarão à venda a partir do dia 15 de agosto em pontos espalhadoss pelas cidades de Santos, São Vicente e Praia Grande. O primeiro lote promocional custa apenas R$ 20,00.

O maior festival de rock da Baixada Santista reúne sempre no feriado da Independência grandes nomes do rock brasileiro como Velhas Virgens, Paul Di'anno (Iron Maiden), Matanza, Almah, Maverick 70, Taste of Sin, entre outros.


Serviço 
3° Independência ou Rock!
Dr. Sin, Last Jocker e Fire Monckey
Data: 06/09
Local: Clube dos Ingleses
Endereço: Rua Santa Catarina, 127 - José Menino
Hora: 21h

Ingressos:
1º lote - R$ 20,00 (até 26/08 ou 200 primeiros)
2º lote - R$ 25,00
3º lote - R$ 30,00
(Ingressos estudantes ou portadores de flyer promocional)

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Um aperitivo

Quem acompanha o blog do NaVeia, sabe que toda quarta rola uma entrevista aqui. E a banda da vez é a Ultimato. O som dos meninos é MASSA! E saca só no clipe da musica "Homem de Mentira". Mega responsa!

Fica ai um aperitivo enquanto não chega quarta feira!


Vem ai: 1ª edição da Bazinga - A festa que vai invadir o Espaço Marum


Uma festa que a única pretensão é agradar a todos os públicos

Na pista toca o que você não cansa de ouvir além de algumas novidades nas playlists como trilhas de filmes e seriados que marcaram sua vida. Aqui rola o que der na telha dos DJs e o que vai fazer você dançar.

Line Up

Dj Leo Braga(Ilha do Sol)
Dj Erich Monteiro(Brasil na Pista)
Dj Liisa(Groove Party)

Dj Convidado:Great Guy(Cliperama)

E ainda show com a Banda Bazinga fazendo um DUELO com os maiores sucessos do Michael Jackson e da Madonna



Comemorando seu aniversário em grande Estilo João Caruso um dos idealizadores do Projeto Bazinga.

COMEMORE VOCÊ TAMBÉM SEU ANIVERSÁRIO COM A GENTE E GANHE DESCONTO E BRINDES

A festa promete ser inesquecível. Além das surpresas, contaremos com um festival de algodão doce, malabares, dançarinos e mais atrações!!


R$15 C/FLYER OU LISTA AMIGA ATÉ 00H festa.bazinga@gmail.com 

Vai perder? Nem louco né!

Entrevista - Romulo Fróes



Fonte: Blog Maloka Groove - http://malokagroove.blogspot.com/

Retomando as atividades da nossa sessão de entrevistas, tive a honra de bater um breve papo com Romulo Fróes, cantor e compositor Paulista, que estará se apresentando no festival No Ar Coquetel Molotov 2011, ele falou do seu novo disco, influências musicais e da ansiedade do seu show em Recife.


M.G. - Quando você começou a compor? E de onde vem sua relação com música?

R.F. - Aos 18 anos, quando comecei a ter aulas de violão. Na primeira aula, depois de ter aprendido o primeiro acorde, já compus uma canção. Ao mesmo tempo em que descobri essa imensa facilidade de compor que me acompanha até hoje, foi o que me impediu de me tornar um bom instrumentista, porque ao invés de praticar o instrumento, estudar música eu tava a fim era de fazer canção.

M.G. - Fale um pouco do seu novo disco “Um Labirinto Em Cada Pé”.

R.F. - Penso que meus três primeiros discos serviram pra me colocar no caminho que sigo agora. Neles experimentei muitas das minhas idéias em relação ao que é compor e meus pensamentos sobre a canção brasileira. Acho que “Um Labirinto Em Cada Pé” determina uma personalidade mais forte ao meu trabalho, uma voz mais original, que vai se desenvolver a partir de agora.

M.G. - Como foi o processo de composição do “Labirinto Em Cada Pé”?

R.F. - Acho que foi menos assombrado do que foi o “No Chão Sem o Chão”, acho que me libertei ali, deixei claro que posso compor música brasileira de muitas formas, não só sambas, mas inclusive sambas, sem que tenham que me chamar de sambista. Eu sou um compositor de música popular brasileira e isso quer dizer muitas coisas diferentes.

M.G. - A Música Popular Brasileira hoje está sendo dominada por uma nova geração de compositores, você tem algum em especial?

R.F. - Citar nomes é muito difícil, sempre nos esquecemos de alguém, ainda mais numa geração como esta que considero uma das melhores da música brasileira. Mas correndo o risco, lá vai: Guilherme Held, Rodrigo Campos, Kiko Dinucci, meus parceiros mais constantes Clima e Nuno Ramos, Domenico Lancellotti, Nina Becker, Moreno Veloso, Siba, Fernando Catatau, Karina Buhr, Lucas Santtana e um monte de gente que não vou lembrar agora.

M.G. - O que você tem escutado ultimamente?

R.F. - Os recém lançamentos dos amigos, por quem tenho imensa admiração: Metá Metá, grupo de Kiko Dinucci, Juçara Marçal e Thiago França, Domenico Lancellotti com seu Cine Privê e o novo disco do Kassin, Sonhando Devagar.

M.G. - Quais as sua influências musicais?

R.F. - Minhas influências vêm de todas as épocas da música brasileira. De Noel Rosa, Assis Valente e Lupicínio Rodrigues a Luís Melodia, Milton Nascimento e Caetano Veloso, passando por Tom Jobim, João Gilberto, Gilberto Gil, Paulinho da Viola, Jards Macalé e minha maior influência, meu grande ídolo Nelson Cavaquinho.

M.G. - Com sua presença confirmada no festival No Ar Coquetel Molotov 2011, quais as suas expectativas para esse show?

R.F. - Tocar em Recife com minha banda completa é um sonho antigo que estou realizando e um privilégio que só poderia ter se realizado através do Coquetel Molotov, que é para mim o melhor festival do país. Espero retribuir a altura o carinho que muita gente daí tem com minha música.

M.G. - Quais os seus projetos futuros?

R.F. - O que está mais adiantado, com previsão de disco para esse ano ainda é o Passo Torto, projeto que divido com Rodrigo Campos e Kiko Dinucci, composto só de parcerias inéditas da gente e onde só nós tocamos e cantamos além da participação especial de Marcelo Cabral no baixo acústico.

Agradecimentos finais:

Quero dizer que estou me preparando par fazer o show da minha vida no Coquetel Molotov e adoraria que todos estivessem lá para dividir este momento comigo.

Consuma:


Visitem:

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Qual será o mistério do planeta?


ASSISTA O VÍDEO E DESCUBRA! E DEPOIS CONTA NO @NaVeia

OI NOVO SOM apresenta as bandas TONO e Graveola e o Lixo Polifônico

Banda Graveola


TONO e Graveola e o Lixo Polifônico se apresentam no projeto ‘Oi Novo Som’ no Teatro Klauss Vianna, em Belo Horizonte

Na próxima quinta, dia 18 de agosto, a banda carioca TONO e a mineira Graveola e o Lixo Polifônico se apresentam no projeto ‘Oi Novo Som’, no Teatro Klauss Vianna, em Belo Horizonte. O projeto é multi-plataforma de música independente da empresa de telefonia Oi e acontece na web, rádio, TV e móbile. Com curadoria artística de Bruno Vieira e Thiago Vedova, o ‘Oi Novo Som’ abre espaço para a nova safra da música brasileira e acontece, uma vez por mês, nos palcos do Oi Futuro de Ipanema (RJ) e no Teatro Klauss Vianna, em Belo Horizonte (MG).

A banda TONO é formada pelos músicos Rafael Rocha (voz e bateria), Bem Gil (guitarra e voz), Bruno Di Lullo (baixo e voz), Ana Cláudia Lomelino (voz e metalofone) e Leandro Floresta (flauta, violão e voz). O grupo investe numa camada sonora formada pelo "power trio" vigoroso (baixo, bateria e guitarra), somado a doçura presente nas vozes, metalofone e flauta. De perfis multifacetados, os músicos por vezes trocam de instrumentos, misturam cores e sons em arranjos coesos. As canções da banda prezam pelo amor, pelo prazer, pela alegria de viver, evocando ora um clima de suave romantismo, ora uma certa agressividade da juventude. Tono canta encontros e desencontros, conquistas e reconquistas, e mesmo algumas desventuras amorosas, sem permitir amargura ou rancor. É um clima sedutor que emerge em rocks carnavalescos e bossas misturadas com fanfarra. Ao vivo, o repertório tem dimensão de canção e de "jam band".

Os músicos da banda produzem sons únicos que passeiam distraídos entre o leve e o pesado, regidos pelo acaso e pelo virtuosismo. O vocal formado pela dupla Ana Claudia Lomelino e Rafael Rocha é um charme à parte. As vozes são lisas e confiantes, afinadas e cheias de malícia sem maldade. Ou sem muita maldade. A guitarra de Bem Gil é emocionante, tanto quando brejeiro como quando rasga. O groove do Bruno Di Lullo é profundo. Não dá descanso, com flautas e teclados Leandro Floresta expande o som. A bateria do Rafael é expressiva, um outro agente orquestrador. Tudo tem muito suingue, nada soa forçado. É uma espécie de ápice do ser ‘carioca’. A banda é da nata e, ao mesmo tempo, um HD externo desta cidade mundana. O som lembra tônus, uma musculatura sadia mas dentro da medida, nada de exagerado.

Já a banda Graveola e o Lixo Polifônico, já bastante conhecida do público mineiro, . O som é oriundo de uma associação experimental de produção de bens simbólicos de consumo. O repertório eclético traz referências de variados gêneros, desde clássicos da música brasileira à fragmentos da cultura pop mais deslavada e corrompida. Desenvolvem um trabalho autoral que oscila entre o lirismo e o deboche, as canções consagradas e os jingles televisivos.

Serviço: Tono l Abertura: Graviola e o Lixo Polifônico – Show ‘Oi Novo Som’
Local: Teatro Klauss Vianna - Oi Futuro BH
Endereço: Av. Afonso Pena 4001 – Mangabeiras – Belo Horizonte (MG)
Horário: 20h30
Telefone: (31) 3229-3131
Classificação Etária: livre
Ingressos: R$ 15 (meia-entrada para estudantes, idosos mediante comprovação e colaboradores da Oi, mediante apresentação de crachá)
Mais Informações:

Thais Gulin é a convidada do Palco MPB


Programa da rádio MPB FM agora é gravado no Teatro SESC Ginástico

Na próxima segunda-feira, 22 de agosto, o projeto Palco MPB vai receber, no Teatro SESC Ginástico, a jovem e talentosa cantora e compositora Thais Gulin, que acaba de lançar seu segundo disco, “ôÔÔôôÔôÔ” (Som Livre). As cem primeiras pessoas entrarão gratuitamente. As senhas serão distribuídas na bilheteria do teatro, a partir das 17h.

No show do Palco MPB, a curitibana Thais Gulin mostra que amadureceu como cantora. Reafirma neste novo trabalho seu pulso autoral, já delineado no disco anterior, em que punha lado a lado compositores aparentemente inconciliáveis, como a dupla Evaldo Gouvêia e Jair Amorim, Nelson Sargento, Otto, Jards Macalé, Chico Buarque e Tom Zé. No repertório, além da canção que batiza o CD, um antissamba-enredo que abre com bumbo no um, invertendo o tempo do samba, ela assina a valsa Horas Cariocas e as faixas Frevinho (com Moreno Veloso), Quantas Bocas (com Ana Carolina e Kassin) e The Glory Hole (com Kassin e Alê Siqueira).

Thais será acompanhada pelos músicos Fernando Monteiro (Frado) e Alexandre Prol nas guitarras e violões, Lancaster Lopes no baixo, Chiquinho Chagas nos teclados e acordeom, Thiago Silva na bateria e Marlon Sette no trombone.

Além de cantar, Thais Gulin conversa com o veterano locutor Fernando Mansur – mestre de cerimônia do projeto desde sua criação – sobre sua turnê, sua experiência, sua carreira e seus novos projetos.

As gravações do Palco MPB mudaram de lugar mas o formato do programa é o mesmo. Favorece o encontro do artista com seus fãs. O diferencial do projeto é que além de ser totalmente gratuito, ele transfere para os dias atuais a aura dos programas de auditório da “Época de Ouro do Rádio”. O projeto continua sendo gravado sempre às segundas-feiras. Quem perder a gravação do show pode ouvi-la, às terças-feiras, às 20h, em 90,3 MHz.

SERVIÇO "PALCO MPB" NO TEATRO SESC GINÁSTICO – THAIS GULIN
Dia: 22 de agosto de 2011 (segunda-feira)
Local: Teatro SESC Ginástico – Av. Graça Aranha, 187, Centro
Horário: 19h
Classificação: 16 anos
Capacidade: 521 lugares
Acesso para portadores de necessidades especiais
Mais Informações: www.mpbbrasil.com

ATENÇÃO: Apenas as cem primeiras pessoas entram gratuitamente mediante retirada de senha na bilheteria do local, às 17h. As demais são ouvintes sorteados através do portal www.mpbbrasil.com

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Montezuma também é NaVeia!



E ai seus bonito! A entrevista de hoje é sobre cabelo, gel, chapinha, hair-spray e afins... Não brincadeira! O bate papo de hoje é com o irreverente Mike Farias, vocalista da Banda Montezuma. Conheci os meninos este ano, graças ao Festival Duelo Saloon. De lá pra cá essa galera meio que virou FamiliaNaVeia. Já gravaram um recado, já foram destaque aqui no blog, já saíram no Agenda Rock e nada melhor que uma entrevista pra vocês conhecerem um pouco mais da Montezuma. E eu garanto: esses meninos são PORRETA!

Ouça o bate papo e depois vai correndo curtir o som deles!

SIGA: @BandaMontezuma

ENJOY!




Ai ó vai perder: Festa Barrados no Baile na Varanda do Vivo Rio



No próximo sábado, dia 20 de agosto, a BARRADOS NO BAILE aterrissa, pela primeira vez, na Varanda do Vivo Rio, um dos mais requisitados espaços para festas da cidade.

A última edição, comemorativa aos 3 anos da Barrados, foi sensacional. E esta não será diferente. Além dos DJ’s residentes Claudio Macedo e Rafael Vaz, a Barrados contará com a participação ilustríssima de Orelhinha, DJ e locutor das principais rádios jovens do Rio desde os anos 90. Com esse trio, é bem provável que seja necessário um reforço nos alicerces das edificações da varanda mais charmosa do Rio, já que a pista não vai parar de pular, dançar e cantar os BIG HITS.

Nos sets list não faltarão Shakira, Shaggy, Claudinho e Buchecha, Shabba Ranks, Skank, Britney Spears, Lulu Santos, Steve B, BackStreet Boys, Kid Abelha, Mc Hammer, Vanilla Ice, Will Smith, Spice Girls, Jon Secada, Double You, Ace Of Base, Des’ree, Cake e até ‘pérolas’ do axé e pagode.

Como já é de costume, nosso amigo Mário Bross e outros personagens receberão a galera, dando aquela força pros aniversariantes e colocando todo mundo pra agitar. A grande novidade é que nossa galera animada vai promover competições de Mario Kart e Street Fighter e os vencedores serão devidamente calibrados com shots de tequila.

Pra finalizar, um show de projeção com clipes, desenhos animados, filmes e o que mais marcou as telas da TV e do Cinema naquela década tão deliciosa.

Festa Barrados no Baile
Data: 20 de agosto de 2011, sábado
Horário: 22h30
Local: Varanda do Vivo Rio – Av. Infante Dom Henrique, 85 / Parque do Flamengo – Rio de Janeiro
Classificação: 18 anos
www.barradosnobaile.com.br

Canais

Ingressos:
Antecipado até 08/08 - R$ 70,00 inteira l R$ 35 meia-entrada flyer
Antecipado até 15/08 - R$ 80,00 inteira l R$ 40 meia-entrada flyer
Antecipado até 19/08 - R$ 100,00 inteira l R$ 50 meia-entrada flyer
No dia 20/08 – R$ 120,00 inteira | R$ 60,00 meia-entrada flyer

Sem palavras!


MADAME SAATAN - RESPIRA (Official Music Video)

Megh Stock prepara novo disco


Sim é verdade! A ex-vocalista da Banda Luxúria está preparando um novo disco. Para alegria dos fãs da moça e também para deleite dos apreciadores de um bom rock. Pelo que vi nos videos, vem coisa boa por ai!

Confira!



Parte 2 http://www.youtube.com/watch?v=dS1SxDd1OhE

Parte 3 http://www.youtube.com/watch?v=y8pp6WZEwac&feature=related

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Você não vale nada!



Ando ouvindo muito o novo trabalho da Tiê, “A Coruja e O Coração”, aliás, belíssimo disco! Mas uma gravação agradou totalmente aos meus ouvidos. Tenho certeza que muitos conhecem a musica “Você Não Vale Nada”, que foi sucesso na novela “Caminhos das Índias” da TV Globo e cujo tema era da personagem da atriz Dira Paes. Era aquela que dava leitinho para o marido dormir enquanto se jogava na esbornia! E ai lembrou? Pois é, a Tiê descontruiu a musica e fez uma nova versão. 

Tem um clima meio flamenco, umas palmas, um violão dedilhado e ao mesmo tempo nervoso, nada daqueles gritinhos de Joelma Calypso. É uma canção de revolta: poxa vida você não vale nada mas mesmo assim eu gosto de você! Quem disse que uma musica totalmente popular não pode ser desconstruída? A Tiê é prova disso! Musica não tem limite. Arte não tem limite! É como se pegasse uma canção do Chico Buarque e a Banda Djavú gravasse, a única diferença é que o processo é ao contrário. E tenho que confessar: eu adoro essa desconstrução! Não que eu não goste da versão original, adoro sim, mas o charme da Tiê deixou a musica mais envolvente. Tem um clima mais quente e sensual. Ouça e se envolva. E depois conta no @NaVeia se gostou da nova versão!


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

The Name lança teaser do próximo single "Cant Take No More"







SIGA @thenamemusic

Dica de hoje: Sociedade Austera



A Sociedade Austera foi idealizada em 2005 pelos irmãos Alceu Jennings e César Jennings. A banda possui duas vertentes de influências: literária e musical. Na música, há contribuição do rock alternativo e do pós-punk dos anos 80. Grupos como The Smiths, U2, Joy Division, Legião Urbana, Titãs, The Cure, Engenheiros do Hawaii e Sex Pistols estão entre as principais bandas. Como influências secundárias podem encontrar na sonoridade da Sociedade Austera artistas como The Church, Echo & The Bunnymen, Radiohead, Sonic Youth, PIL, Siouxsie and The Banshees e R.E.M.

Na literatura, o pensamento nietzscheano é muito valorizado nas letras da banda. Escritores como Kafka e Dostoievski também fazem parte da lista. A visão de se ter apenas três integrantes sempre foi compartilhada entre os irmãos, pelo fato de sugerir a simplificação e a objetividade que uma banda deve ter. Sua formação é atual esta composta por Alceu Jennings (baixo e vocal) e César Jennings (bateria) e Nehemias Menezes (guitarra).

A idéia do nome “Sociedade Austera”, apesar de possuir certo tom político, faz referências às pessoas que podem desencadear mal-estar, por conta de suas ideologias, em outras menos adaptadas socialmente. Em agosto de 2009, a banda fez sua primeira apresentação no Computer Hall, tocando cover de suas influências. No início de 2010, a Sociedade Austera gravou seu primeiro single nos estúdios RecPlay.

Em Novembro de 2010 a banda se apresentou no Ensaio Aberto do Ná figueredo, e em junho de 2011 apresentou-se no IFPA. Atualmente sobe a direção do cantor e produtor Sandro Santarém a banda prepara-se para apresentações em bares e casa de show em Belém e em festivais pelo estado, bem como também a divulgação de seu trabalho autoral buscando brevemente a produção e lançamento de seu primeiro CD.

A galera do Anseio Coletivo manda seu recado!



Confira: http://www.facebook.com/anseiocoletivo


Ouça: http://www.anseiocoletivo.net/


Siga: http://twitter.com/ANSEIOCOLETIVO


GRAVE SEU RECADO! SOBE NO YOUTUBE E MANDE O LINK PARA @NaVeia!

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Agenda Rock - 12 de Agosto



E ai seus bonito! Nosso Agenda Rock está do jeito que você mais gosta: com muitas dicas pra agitar o seu final de semana!

Tem show da cantora e guitarrista Drenna, festinha bacana pra você se acabar, Roqueadores em Realengo, Pró Rock Autoral em Engenho de Dentro, Microfonia é Noise em Botafogo, Melody Box ao Vivo em São Paulo, Um Drink no Inferno em Fortaleza, Sertanília em Salvador e muito mais pra deleite de geral! Se joga meu filho!

ENJOY!


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Dica de hoje: Banda Badhoneys



A Badhoneys é uma banda de rock alternativo que gosta muito da cena inglesa do fim dos anos 80 e do ressurgimento das guitarras distorcidas década de 90.
O som do trio se expressa em letras em inglês e português, e tem na veia o rock pesado e melódico, com ecos de grunge, pós-punk, stonerrock e tudo que faça a alma gritar sua angustia e desespero em melodia e muito barulho.

Ao vivo a banda busca a catarse, onde a raiva, a melodia, a tristeza, a psicodelia e o noise que façam a alma gritar sua angustia e desespero em melodia e muito barulho, libertando o espírito para algo maior, inalcansável e sempre desejado.

O primeiro EP da banda se chama "Restart to Fail Again" e foi lançado em 2010. O ano de 2011 tem sido bastante movimentado para banda, que fez shows nos Festivais Grito Rock de Sorocaba (Rock City!)/SP e cidades do RS e SC no Circuito Fora do Eixo.

Atualmente o foco da banda está em finalizar seu segundo EP.

Formado em Julho de 2009 em Porto Alegre/RS.
Giana Cognato: Guitarra e Vocal.
Stefano Fell: Bateria e Vocal.
Rodrigo Souto: Baixo.

As influências vão de P.J. Harvey, Nirvana, Joy Division, New Order, Sonic Youth, Sweverdriver, Pixies e Dinosaur Jr.


BAIXE EP: http://migre.me/5tjIY


#recomendo

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Juliano Rabujah - samba capixaba de primeira



O novo disco de Juliano Rabujah é descobridor. Descobri uma voz suave, gostosa do ouvir, um samba que tem palmeiras, que está nas feiras e na veia de todo brasileiro. É suingado, bom pra ouvir naqueles momentos que se volta da praia, no fim de tarde, com petiscos e uma bela cerva pra acompanhar. O que o samba desse moço tem? Composições ótimas, ritmo, belas canções e poesia do samba. Claro, porque samba também é poesia. 

Pode-se dizer que Juliano Rabujah é uma Tulipa Ruiz de calça. A cada canção do álbum “O que o meu samba tem” você se envolve, descobre e absorve o excelente trabalho desse capixaba. É muito bom saber que o Espírito Santo, estado brasileiro que não existe no mapa (uma pena!), tem talentos que todos os brasileiros deveriam se orgulhar. Lógico que a primeira pessoa que vem em nossa mente é Roberto Carlos, indiscutível, mas o terreno capixaba não fabrica somente robertos, mas sim um Juliano Rabujah, um Alexandre Lima, uma banda que mistura congo com rock e tantas outras maravilhas! Talentos que muitas vezes passam despercebidos na terra brazuca e por isso acabam se aventurando na gringa. E tenho que afirmar, sempre com um feedback excelente dos estrangeiros. 

Então, se você ainda não sabe o que tem no samba de Juliano Rabujah, não perca seu tempo! O moço tem muito a te oferecer: musica boa! Algo, aliás, que é raro hoje em dia.

#recomendo
Categoria 5 estrelas

Baixe “O que o meu samba tem” http://migre.me/5sP3M


Ouça disco O que o meu samba tem

o que meu samba tem by Rabujah

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Homens do Pântano gravam seu clipe



Com direção do prestigiado cineasta carioca Cavi Borges, a banda de rap Homens do Pântano concluiu as gravações do seu videoclipe nessa semana. A música escolhida para o clipe é "O Começo do Fim do Mundo" e faz parte do novo disco dos pantanosos chamado "As Aventuras na Cidadela Oeste".

Cavi Borges, autor do documentário L.A.P.A., sobre a cena do rap carioca, colocou os integrantes da banda interagindo com personagens clássicos no Largo da Carioca, cenário muito tradicional do centro do Rio de Janeiro. “Eu já tinha feito filmagens aqui no Largo da Carioca para outro projeto, por isso sabia que iríamos conseguir captar cenas bem legais, foi isso que rolou. O clipe vai ficar bem legal” contou Cavi.

Baixista da banda, Marcito Dub Monster comentou sobre as idéias de Cavi: “Escolhemos o Cavi porque é um amigo de longa data e também por sua experiência como diretor de clipes. Ele teve ótimas idéias e o colocou o pessoal da banda para interagir com camelôs, pastores e o povo da rua, fazendo uns lances bem legais. Vamos editar agora e vai ficar nota dez. Vamos lançar junto com o nosso disco.” Explicou Marcito.


Twitter: @homensdopantano

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Joss Stone - LP1



Por Clerverson Braga

Lá no longínquo, ou não tão longe assim, ano de 2003 quando - então com 16 anos - Joss Stone lançou seu primeiro disco, repleto de covers, não dava pra imaginar que iria chegar tão longe.

Mentira, dava.

Hoje, 8 anos e 4 discos depois, ela apresenta LP1, vindo na aba de várias premiações e do sucesso de um supergrupo, o SuperHeavy.

LP1 certamente é o álbum mais "misto" da artista. Ao contrário dos anteriores, onde era muito claro e marcante o compassamento e as entonações focais do soul e R&B, neste os trabalhos vocais foram elevados a outro nivel e as batidas seguiram um ritmo muito mais jazz, pra não dizer indie, do que soul.

Os discos anteriores carregavam a característica de "entrar no clima e curtir" e LP1 tem a caracteristica de "ficar batendo o pé", se é que você me entende.

Duas influencias extremamente claras são a presença e o dedo artistico da SuperHeavy no disco, leia-se Mick Jagger, e o retorno triunfal do soul/jazz/folk vocal - e a exploração dos back vocals - provocado por Adele nos últimos 2 anos.

Realmente não há muito que ser dito desse trabalho, além de que deve ser ouvido. Repetidas vezes.


sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Agenda Rock - 05 de Agosto



Salve salve roqueadores! Estava com saudades? Então se prepara pois o Agenda Rock está no ar!

Claro que tem muiro rock and roll, show da banda Montezuma, mais uma edição do Melody Box Ao Vivo, festa Matineé em Fortaleza com a DJ Angelica Banks, showzinhos e exposição de fotos do Michael Menezes na Audio Rebel, show do Wagner José e Seu Bando, cervejinhas no Lapa Café, festas, festas e mais festas!

Se joga meu filho!



quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Lê Almeida Na Veia



Hoje é dia de entrevista aqui no blog! E por isso vou compartilhar com vocês a gravação que fiz com Lê Almeida para o Programa Na Veia, vinculado pela Rádio Microfonia.


***********************************************

Ele grava suas próprias músicas, produz seus discos e os de seus amigos e, juntos, prensam suas produções em CD e até vinil. É mais ou menos assim que funciona a Transfusão Noise Records, selo criado por Lê Almeida para reunir e dar nome a estas produções.

É sobre isso e também o lançamento do álbum Mono Maçã que o cantor conversa com Renata Brant durante o programa Na Veia. Com vários disquinhos do selo em mãos, Lê Almeida falou sobre seu método de gravação, todo feito em casa em fita K-7, suas viagens pelo país e a predileção por artistas do rock lo-fi como Guided By Voices e Pavement.
Ou, como o próprio Lê escreveria, roque lo-fi.

E claro, durante o programa, rola muito rock n' roll nacional com diversas músicas do Lê Almeida e também de outros grandes representantes do estilo.
Confira a lista:

- Top Surprise - Home
- Loomer – I Feel like I don’t know what i’m doing
- Carpete Florido – Surgical Focus
- Superguidis – Cartas na Manga
- Wallace Costa – My Charm
- Hierofante Púrpura - Qualquer Um Toca Isso Hoje em Dia
- Bad Rec Project – We Understand Rock n’ Roll
- Bonifrate – Este Trem Não Improvisa

E no BG você ouve a banda The Tape Disaster, que acaba de lançar um EP pelos selos Sinewave e Senhor F.


Clique na seta e escute!
*Leia aqui a matéria completa:


*No dia 13 de agosto, Lê Aleida e a banda Loomer tocam em Botafogo (RJ), no evento Microfonia é Noise, promovido pela Rádio Microfonia. Todo mundo lá!


terça-feira, 2 de agosto de 2011

Músico não precisa de registro para exercer profissão, decide STF

Mozart

Por unanimidade, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta segunda-feira (1º) que o músico não precisa ter registro em entidade de classe para exercer sua profissão.

Os ministros julgaram o caso de um músico de Santa Catarina que foi à Justiça ao alegar que, em seu Estado, ele só poderia atuar profissionalmente se fosse vinculado à Ordem de Músicos do Brasil.

Em diversos locais do Brasil, músicos são obrigados a apresentar documento de músico profissional -- a "carteirinha de músico" -- para poder se apresentar.

A decisão vale apenas para o caso específico, mas ficou decidido que os ministros poderão decidir sozinhos pedidos semelhantes que chegarem ao tribunal. Ou seja, se o registro continuar a ser cobrado, será revertido quando chegar no tribunal.

Para a ministra Ellen Gracie, relatora da ação, o registro em entidades só pode ser exigido quando o exercício da profissão sem controle representa um "risco social", "como no caso de médicos, engenheiros ou advogados", afirmou.

O colega Carlos Ayres Britto disse que não seria possível exigir esse registro pois a música é uma arte. Ricardo Lewandowski, por sua vez, chegou a dizer que seria o mesmo que exigir que os poetas fossem vinculados a uma Ordem Nacional da Poesia para que pudessem escrever.

Já o ministro Gilmar Mendes lembrou da decisão do próprio tribunal que julgou inconstitucional a necessidade de diploma para os jornalistas, por entender que tal exigência feria o princípio da liberdade de expressão.

Fonte: Folha Online

Dica de hoje: Banda 99 Macacos



O projeto 99 MACACOS, nasceu em 2004 quando a Vania Tedesco e o Conrado Ruther se juntaram pra fazer o que seria um projeto solo da cantora, mas que acabou virando banda por ficar evidente uma incrível sintonia musical entre os dois. Em Junho de 2005, a 99 MACACOS regravou a música Meu Mundo Caiu, da cantora Maysa, cuja vida foi contada no início de Janeiro do Ano de 2009, na minissérie da Globo “Maysa, Quando fala o coração”. Um acontecimento, já que estará sendo lembrado dalí pra frente, o nome de uma das maiores cantoras que o Brasil já teve. Homenagem mais do que merecida! 

Outra música que chama a atenção no disco de estréia da banda, é "Relatos da Periferia", de autoria própria, com a participação do grupo de Rap, Profecia Zona Sul, que nasceu exatamente quando a Vania quis saber mais da vida sofrida desses caras que saíram da Febem e resolveram abandonar a vida do crime. O Alex, conhecido como MC Alemão, ela conheceu no bairro do Paraíso, em São Paulo (ele fritava kibes no Jaber), e o Magrão era amigo dele... outro sobrevivente. Vania ouviu a estória deles e emocionada escreveu a letra que se encaixou direitinho em uma música que o Conrado havia feito um bom tempo atrás. Depois foi só chamar os manos pra gravarem os vocais. Eles saíram do estúdio, decididos a seguirem em frente com o rap na vida deles. O grupo se apresenta com regularidade nas periferias de São Paulo. 

O nome 99 MACACOS, diz respeito ao inconsciente coletivo. Aquilo que se alcança a partir do centésimo macaco. Esse nome foi tirado de um documentário que a Vania leu sobre uma pesquisa feita no Japão, nos anos 50. O primeiro álbum da banda já está pronto e embora ainda não tenha sido
lançado oficialmente no mercado, já está disponível para audição desde as
primeiras horas de 2010, no site Myspace.

SIGA: @99macacos

OUÇA - Meu Mundo Caiu



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...